Museu Grão Vasco, em Viseu, será elevado a Museu Nacional

O Presidente da Câmara Municipal de Viseu, Almeida Henriques, tornou hoje público o compromisso do Governo em elevar o Museu Grão Vasco ao estatuto de “Museu Nacional”.

“Felicito o Secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier, pela decisão e pelo bom acolhimento da proposta do Museu e do desejo manifestado pelo Município”, afirmou Almeida Henriques. “Esta elevação representa o reconhecimento nacional do valor cultural excecional do Museu Grão Vasco e é um grande trunfo para a sua afirmação e para a promoção cultural e turística da cidade de Viseu”, destacou.

Com o novo estatuto do Museu Grão Vasco, Viseu passará a estar na lista restrita de cidades portuguesas com “Museus Nacionais”: Lisboa, Porto e Coimbra.
 
Num encontro realizado nos Paços do Concelho com o Presidente da Câmara, o Diretor do Museu Grão Vasco, Agostinho Ribeiro, defendeu que esta classificação “é uma reposição de justiça do valor do Museu e do seu acervo”. O responsável considerou que o novo estatuto será um ganho para “a promoção e internacionalização do Museu e da cidade”.

O processo de mudança de estatuto está em curso e será brevemente concluído, após parecer formal (não vinculativo) do Conselho Nacional de Cultura.

A coleção principal do Museu Grão Vasco é constituída por um conjunto muito relevante de obras, provenientes da Catedral de Viseu, de igrejas da região e de depósitos de outros museus, da autoria de Vasco Fernandes (c. 1475-1542), o “Grão Vasco”, considerado o principal nome da pintura portuguesa quinhentista. O acervo inclui ainda outras obras e objetos do Românico ao Barroco, peças de arqueologia e uma coleção importante de pintura portuguesa dos séculos XIX e XX, entre outros peças de património cultural histórico.