Câmara de Viseu aprova investimento de 2 milhões de euros para equipamentos da ETAR Viseu Sul

 

Reabilitação da ponte de Ribafeita sobre o rio Vouga vai avançar com investimento de 100 mil euros

A Câmara Municipal de Viseu aprovou hoje a aquisição de equipamentos tecnológicos para o funcionamento da futura ETAR Viseu Sul, num investimento de 2 milhões de euros.

O Presidente da Câmara, Almeida Henriques, sublinhou a importância desta decisão e a grande exigência na execução deste projeto que “revolucionará o padrão de tratamento de águas residuais em Viseu”. À data, “o projeto superou já a meta dos 50 por cento da execução física e financeira e alcançou a sua velocidade de cruzeiro”, destacou.

A ETAR de Viseu Sul servirá 90 dos 100 mil habitantes do concelho com o tratamento mais evoluído de águas residuais disponível e a reutilização até 100% de águas residuais tratadas, nomeadamente para limpeza e rega de zonas verdes e de solos agrícolas, com uma tecnologia atualmente não disponível no concelho.

Na reunião realizada hoje, a Câmara de Viseu aprovou ainda a execução da obra de recuperação e conservação da ponte de Ribafeita sobre o rio Vouga, no limite com o concelho de São Pedro do Sul. O investimento ascende a 100 mil euros e será financiada em conjunto pelos dois municípios.

A Câmara de Viseu promoveu recentemente uma inspeção à infraestrutura, tendo detetado problemas no estado de conservação de um dos pilares da ponte, o que conduziu à limitação da circulação de veículos de carga igual ou superior a 3,5 toneladas e ao avanço desta empreitada de manutenção e conservação.

Também aprovado foi a contratação de serviços para o desenvolvimento de um portal para o investidor e de apoio à captação de investimentos empresariais.

A Câmara deliberou ainda favoravelmente um contrato de doação de obras de artistas de Viseu e de provas de autor dos galardões municipais, propriedade do pintor e escultor Pedro Albuquerque. O acervo será radicado na rede municipal de museus.

O Presidente da Câmara, Almeida Henriques, elogiou “o sentido de bem público de Pedro Albuquerque nesta doação e o elevado significado patrimonial do acervo para a cidade”.