Maria da Nazaré de Matos é a vencedora do 1º Prémio Aquilino Ribeiro

Sete obras foram a concurso e ensaio sobre o universo aquiliano foi distinguido com um prémio de 10 mil euros.

 

Maria da Nazaré Rodrigues Peixinho de Matos, investigadora e professora do Ensino Secundário, é a autora vencedora do 1º prémio Aquilino Ribeiro, com a apresentação de um ensaio inédito (não publicado) sobre o mestre das “Terras do Demo”.

A revelação foi realizada esta quarta-feira, em Viseu, na sessão de anúncio e entrega do prémio, promovido pelo Centro de Estudos Aquilino Ribeiro (CEAR), com o Alto-Patrocínio do Município de Viseu. A concurso estiveram sete obras.

O prémio literário, de âmbito nacional, resulta de um concurso realizado em 2015 sobre obras inéditas de ensaio em torno do universo de Aquilino Ribeiro, e é uma aspiração antiga do CEAR, tendo sido instituído em 2000, mas só agora organizado através de financiamento municipal.

Na cerimónia, a vencedora realçou “ser uma grande honra ficar ligada ao nome deste notável homem de letras”. Maria Nazaré de Matos considerou que “o valor educativo, a celebração de uma consciência cívica e ambiental, bem como a dimensão transgressora da obra aquiliniana são desafios estimulantes”. A autora disse ainda entender ser “urgente resgatar a obra de algumas críticas que a menospreza e que considera Aquilino um escritor quase ilegível.”

Na entrega do prémio, o Presidente da Câmara Municipal de Viseu, Almeida Henriques, reafirmou a disponibilidade do Município em renovar futuramente o apoio à reedição do Prémio, nomeadamente com vista a “promover a criação literária ficcional em torno do universo e das paisagens de Aquilino e da cidade-região de Viseu”.

Almeida Henriques vê na organização deste prémio literário “mais um passo no desígnio de desengavetar a obra de Aquilino Ribeiro, trazendo-a à luz do dia e para junto das pessoas”. “As obras de Aquilino são um património universal de forte inspiração regional e Viseu assume a responsabilidade de ser a cidade-região que acolhe a memória de Aquilino Ribeiro”, afirmou.

“Também por isso organizámos o Festival Literário de Viseu ‘Tinto no Branco’, tendo por referência Aquilino Ribeiro, e tomámos a opção de batizar a nova Escola Básica com o nome do autor das ‘Terras do Demo’ e em marcá-la com os personagens inspirados do ‘Romance da Raposa’”, explicou Almeida Henriques.

“O Festival Literário regressará em 2016”, adiantou. “Sentimos que a obra e o nome estão a voltar à vida e ao estatuto cultural que lhe são devidos”.

Ainda em 2016 o Teatro Viriato acolhe e produz a criação “Do Demo” de Nuno Cardoso sobre “o corpo da obra de Aquilino Ribeiro”.