Escolas Grão Vasco e Viriato têm projeto pronto e iniciam obras em 2017

Almeida Henriques apresentou ainda resultados da operação de erradicação total do amianto na rede escolar municipal

O Presidente da Câmara Municipal de Viseu, Almeida Henriques, apresentou esta quinta-feira os projetos de requalificação das escolas Grão Vasco e Viriato. “Estão prontos e iniciam obras em 2017”, destacou.

O passo que se segue é o do lançamento de concursos públicos para a execução dos trabalhos.

Para Almeida Henriques, “o avanço destas obras há tanto tempo adiadas e reclamadas tornou-se hoje irreversível. A decadência destas duas escolas emblemáticas de Viseu fará parte do passado. Esperamos que os fundos comunitários não se atrasem mais e que o Estado Central cumpra a sua quota parte de responsabilidade. O Município está a honrar a sua palavra”.

Juntas, as intervenções na Escola Básica 2/3 Grão e na Escola Secundária Viriato beneficiam uma comunidade escolar de quase 2000 alunos e representam um investimento de quase dois milhões de euros. Dos fundos comunitários do PORTUGAL 2020 espera-se uma comparticipação de perto de 1,6 milhões de euros.

A requalificação em causa permitirá dar “uma cara nova às escolas”, melhorar substancialmente as condições gerais de funcionamento, aprendizagem e trabalho, qualificar o comportamento energético e ambiental e “dar um salto” na acessibilidade a crianças e adultos com mobilidade reduzida. As infraestruturas de águas serão também substituídas ou remodeladas.

O Presidente da Câmara explicou ainda que “a execução destas obras é especialmente exigente pois acomodará a necessidade de manter as escolas em funcionamento durante os períodos letivos”.

A Escola Básica Grão Vasco, com ensinos nos 2º e 3º ciclos, foi inaugurada data de 1969 e serve neste novo ano letivo 1244 alunos. Já a Escola Secundária de Viriato entrou em funcionamento em 1985 e tem presentemente 707 alunos.

No roteiro escolar que realiza entre esta quinta-feira, 15 de setembro, e a próxima segunda-feira, o Presidente da Câmara de Viseu apresentou ainda os resultados da operação de erradicação de amianto (coberturas em fibrocimento) da rede escolar municipal.

“No arranque deste ano escolar, o Município de Viseu garante que nenhuma escola da sua rede tem já coberturas em amianto”, explicou o autarca. No último ano foram intervencionadas 8 escolas para erradicação deste material, que representam uma comunidade de 581 alunos. No total, o investimento realizado ascende a 300 mil euros.

Na lista de escolas beneficiadas com esta operação encontram-se as escolas da Ribeira, Povolide, Tondelinha de Orgens, Zonho e Carragosela, Vila Chã de Sá , Póvoa de Abraveses e São João de Lourosa. No âmbito desta intervenção está ainda incluída a requalificação do Pavilhão Desportivo da Escola Secundária de Viriato.

“Prometemos estas intervenções e cumprimos”, sublinhou Almeida Henriques. “Temos hoje uma rede escolar municipal mais qualificada e mais segura para quem aí estuda ou trabalha”, sublinhou.

Neste roteiro, foram ainda apresentados os resultados da operação de modernização e equipamento informáticos das escolas. Ao todo, o Município equipa com 150 novos computadores e monitores, e respetivo software, as escolas da rede municipal, neste início de ano letivo. O investimento ascende a perto de 100 mil euros. No total são beneficiadas mais de 3300 crianças.

O Município renova ainda em 2016/2017 a oferta do kit escolar “Viseu Educa” a todas as crianças que frequentem o ensino básico na rede municipal. No ano letivo 2015/2016, o Kit de material escolar foi distribuído a 3599 alunos, tendo representado um investimento de 24 mil euros.

A medida está incluída no pacote municipal de medidas de estimulo à natalidade e visa, nas palavras de Almeida Henriques, “diminuir o encargo das famílias no esforço de educação dos filhos, sobretudo no início do ano letivo”.

Anualmente o Município de Viseu investe 2 milhões de euros em apoios sociais no âmbito escolar.

 

Projeto Escola Grão Vasco 

 

Projeto Escola Viriato