Município de Viseu quer mais e melhor segurança pública em pontos críticos do concelho

 

Presidente da Câmara reúne esta segunda-feira com Ministra da Administração Interna 

O Presidente da Câmara Municipal de Viseu, Almeida Henriques, reúne na próxima segunda-feira com a Senhora Ministra da Administração Interna, tendo em vista debater temas relevantes na promoção da segurança pública do concelho.

Sendo Viseu um concelho seguro para viver, com baixos índices de criminalidade, a Câmara Municipal espera no entanto ver reforçadas medidas de segurança em pontos críticos do concelho, que garantam uma reposição urgente da perceção de um território seguro e de níveis elevados de proteção de pessoas e bens.

Em particular, serão apresentadas apreensões relativas a fenómenos de insegurança no Bairro e zona de Paradinha, na União de Freguesias de Repeses e São Salvador, e às lacunas sentidas pela população numa presença policial dissuasora, vigilante e atuante.

Será também manifestada forte apreensão relativa à falta de efetivos da Polícia de Segurança Pública (PSP), assumida já publicamente pelo respetivo comando, para as funções regulares de vigilância e combate à pequena criminalidade na cidade.

“O Município não abre mão de continuar a dispor de um concelho seguro e atrativo”, defende o Presidente da Câmara, Almeida Henriques. “Não desejamos nem aceitamos que alastre um sentimento de insegurança que é típico do modo de vida de bairros problemáticos das grandes cidades, mesmo que tal se confine a focos pontuais e muito delimitados do concelho”.

Por outro lado, o Presidente da Câmara apresentará também pessoalmente ao Governo a sua apreensão quanto ao facto de ter a autarquia assumido encargos financeiros diretos para assegurar a disponibilidade de brigadas e o funcionamento de turnos de patrulhamento no Centro Histórico de Viseu.

Como tornado público, o Município contratou em Abril passado um serviço gratificado da PSP de modo a ver colocado no terreno uma equipa de agentes que assegure a vigilância de segunda-feira a sábado, entre as 22H e as 2H da manhã, e aos domingos, entre as 20H e as 24H. Este reforço representa um custo mensal de 3000 EUR ao Município.

Este policiamento adicional, iniciado a 3 de Abril, acresce ao Contrato Local de Segurança anteriormente firmado com o Município, para o funcionamento de um 2º turno de vigilância na zona antiga da cidade, com ação entre as 18H e as 24H de segunda a sexta-feira.