Espaço de Atendimento
A receção ou espaço de atendimento é um espaço que centraliza todos os movimentos da Biblioteca. Enquanto espaço de acolhimento, informação e orientação de utilizadores aqui se prestam diversos serviços, entre os quais: a elaboração do cartão de utilizador, a disponibilização de informações sobre a Biblioteca e suas valências. Aqui se efetuam pesquisas bibliográficas no catálogo e a requisição domiciliária de Documentos.
Este espaço disponibiliza também uma zona de leitura informal de jornais nacionais e locais.
Sempre que necessário este espaço adapta-se para galeria de exposições.
Coloca à disposição dos utilizadores um serviço de fotocópias em regime de auto serviço.
O átrio dispõe ainda de máquinas de consumo de bebidas e alimentos.

 

  

 

   

 

Sala Infanto-Juvenil
Espaço equipado com livros em acesso livre suscetíveis de serem requisitados pelos utilizadores para leitura domiciliária. Publicações periódicas e documentos multimédia. Equipamento apropriado à idade dos seus utilizadores, com especial atenção para a Bebeteca, Hora do Conto, Anfiteatro para realização de atividades lúdicas de promoção da leitura. Dotado de equipamento para visionamento de filmes e Atelier de Expressões. Neste espaço realizam-se diferentes atividades de promoção do livro junto dos mais pequenos, proporcionando deste modo o gosto pela leitura e a educação para a cidadania. A Biblioteca disponibiliza, ainda, computadores para a realização de trabalhos e acesso gratuito à Internet.

 

 

 

 

Sala de Adultos
Espaço equipado com livros em acesso livre suscetíveis de serem requisitados pelos utilizadores para leitura domiciliária, com exceção de obras de referência, monografias do Fundo Local, obras em vários volumes e espécies de grande porte.
A arrumação dos livros nas estantes é definida pelas temáticas de acordo com uma tabela normalizadora designada por CDU-Classificação Decimal Universal.
O fundo documental adulto é enriquecido e atualizado por aquisições, doações particulares e permutas institucionais.
No piso superior, o espaço está dotado de publicações periódicas, revistas e jornais de temáticas diversas.
Neste espaço a Biblioteca disponibiliza ainda um ponto de acesso ao "Diário da República" on-line.
Ainda neste piso encontra-se a galeria Wireless, onde os utilizadores podem aceder livremente à Internet através de computadores pessoais. Ao fundo, do lado esquerdo, situa-se a sala de apoio a pessoas com deficiência visual (Sala de Braille).

 

 

 

 

 

 

 

Sala de Braille
Espaço apetrechado com equipamento apropriado para prestar apoio a pessoas deficientes visuais.
Dispõe de um computador com software adequado a pessoas invisuais, teclado braille, sistema de voz, scanner e impressora que permite converter documentos word em Braille.

 

 

  

 

BDteca Luiz Beira
A Bdteca Luiz Beira está integrada na Sala de Adultos e constitui por si só um núcleo de documentação de reconhecido valor.
A Bdteca coloca à disposição de todos os utilizadores e estudiosos desta arte um manancial riquíssimo de literatura alternativa, designadamente álbuns de BD, revistas, fanzines, recortes de jornais, etc.
Pela sua raridade, singularidade ou pelas dedicatórias exclusivas a Luiz Beira, alguns exemplares encontram-se nos reservados com acesso limitado.
Bedeteca é, por definição, uma biblioteca de Banda desenhada (BD) que pode - e deve integrar diversos tipos de suportes, designadamente monografias os álbuns -, revistas, jornais, fanzines e material não livro, como CDs, cartazes, postais, pranchas, etc.
O que é e o que pretende ser a BDteca Luiz Beira? Luiz Beira, pseudónimo artístico de Armando Corrêa, é o nome pelo qual o próprio prefere ser conhecido. Actor, escritor, jornalista e crítico de BD, amante incondicional de Viseu e das suas gentes, decidiu generosamente doar, numa primeira fase, uma pequena parte da sua bedeteca particular.
Em 1991, em sessão pública, Luiz Beira entregou simbolicamente o primeiro álbum - Le Monde de Hergé - ao GICAV, desde logo um incansável intermediário, representativo dos mais de seiscentos volumes que iniciavam um primeiro ato de doação. Era o início feliz daquela que viria a tornar-se numa das mais ricas bedetecas do país. A 31 de Maio de 2002, no ato de inauguração oficial da Biblioteca Municipal D. Miguel da Silva, e numa justíssima prova de gratidão e reconhecimento por parte da Autarquia Viseense, a Bedeteca, parte integrante da Biblioteca Municipal, era dada a conhecer ao público com a designação BDteca Luiz Beira.
Desde então, o acervo documental da BDteca Luiz Beira tem vindo a crescer exponencialmente, tendo já ultrapassado mais de 5000 documentos. Integrada no espaço da sala de leitura de adultos, ela constitui, por si só, um núcleo de documentação autónomo muito significativo, colocando à disposição dos utilizadores/leitores e estudiosos desta arte, um manancial riquíssimo de literatura alternativa que, estamos certos, não defraudará as expectativas do público mais exigente.
Devemos salientar que a BDteca dispõe ainda de cerca de 400 álbuns que pela sua raridade e valor - desde exemplares únicos, obras com dedicatórias personalizadas pelos maiores autores de BD a nível mundial, primeiras edições, obras inexistentes no mercado livreiro não se encontram em livre acesso ao público. Exemplo disso é o volume que reproduz as pranchas originais de François Craenhals para o álbum Le Piège, da série Chevalier Ardent.
Os desafios são muitos, as exigências maiores ainda! Desde logo, as tarefas de tratamento técnico - a catalogação, classificação e indexação - que se impõem, para que seja permitida uma rápida e eficaz recuperação e difusão da informação para benefício dos utilizadores.
Outro aspeto diz respeito à dinamização da BDteca através da realização de atividades diversas como encontros com autores, debates, exposições temáticas, etc. para o qual estamos sensíveis, não só porque pretendemos ser dignos deste enorme gesto benemérito, mas também porque temos noção da riqueza do espólio que deve ser divulgado.
Um dia, assim esperamos, concretizaremos o sonho do Luiz Beira: a sua BDteca dará lugar a um Museu-BDteca já que estão a caminho de Viseu objetos vários, como fotografias, registos BD, quadros, pranchas, etc, que fazem parte da vida de um homem que desde cedo se dedicou ao mundo da BD. (Inserir fotografias da BDteca e eventualmente de algumas capas de álbuns raros).

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fundo Antigo
O Fundo Antigo da BMDMS é constituído por um acervo de obras publicadas anteriormente a 1820. O fundo tem a sua origem nas doações de particulares, de salientar a do fundador da Biblioteca Municipal de Viseu D. António Nunes de Carvalho, no espólio bibliográfico dos arquivos religiosos, no de algumas Ordens e no do Cabido mas, sobretudo, no do Seminário Episcopal de Viseu. Este fundo é constituído por cerca de 7.233 volumes e nele se encontram os forais manuelinos de Viseu e Povolide, vários maços provenientes das Câmaras dos extintos concelhos do Barreiro, de Povolide e de Ranhados, 5 volumes com traslados de emprazamentos e outras escrituras dos séculos XII a XVI, várias pastas de manuscritos do bispo D. Francisco Alexandre Lobo e o códice "Virtuosa Benfeitoria" atribuída ao Infante D. Pedro.

 

  

  

 

 

Sala Multimédia
Espaço onde se encontram documentos áudio-vídeo, CD, DVD, VH, CD-Room destinado ao público em geral. É neste local que também se encontram os documentos áudio-vídeo do sector infantil. Os documentos encontram-se em livre acesso e o público pode visionar um filme no local, onde dispomos de equipamento apropriado. O acesso à internet é gratuito.

  

  

  

    

 

 

Sala Polivalente
Espaço ideal para conferências, palestras, apresentação de livros, workshops ou para atividades lúdicas para crianças.

                

 

Jardim Exterior
Anexo à Sala Infanto-Juvenil, o jardim permite que as crianças que frequentam as actividades possam, sempre que possível, usufruir deste espaço.