Reabilitação de 7 edifícios no Centro Histórico de Viseu arranca com 1,5 milhões de euros

15 fogos habitacionais para arrendamento permitirão alojar cerca de 50 novos moradores no coração da cidade

O Município de Viseu celebrou hoje os contratos de execução das obras de reabilitação de 7 edifícios do centro histórico da cidade, num investimento global de 1,5 milhões de euros. As obras deverão iniciar-se ainda este ano e estar concluídas no horizonte máximo de dois anos. 

Segundo o presidente da Câmara Municipal de Viseu, Almeida Henriques, “a execução destes projetos contribui para estancar a hemorragia social do centro histórico na última década. A intervenção será uma injeção de vitalidade no coração da cidade.” 

A reabilitação destes 7 edifícios permitirá criar 15 novos fogos habitacionais para arrendamento e fixar 50 novos moradores no centro histórico, especialmente de jovens famílias, e abrir seis novos espaços comerciais e de serviços. 

Para efetuar este investimento, o Município de Viseu tem garantido um financiamento de 1,4 milhões de euros do Banco Europeu de Investimento, no âmbito do programa “Reabilitar para Arrendar”. 

A rua Direita, artéria central do centro histórico de Viseu, concentra cinco dos sete edifícios a reabilitar. Os demais edifícios localizam-se no largo de São Teotónio (junto à Sé de Viseu) e na rua Silva Gaio. Nesta artéria está situada a Casa da Calçada cuja reabilitação será destinada a um novo equipamento para serviços culturais. 

Na cerimónia, o Presidente da Câmara Municipal de Viseu adiantou que os cinco concursos públicos lançados para a reabilitação destes edifícios foram “muito concorridos, relevando uma grande atratividade do centro histórico de Viseu”. 

Ao todo, 16 empresas de construção e reabilitação apresentaram 41 propostas a concursos em Abril passado, altura em que se colocou em debate público a estratégia de revitalização da zona histórica da cidade.