Município de Viseu lança programa para diversificar formações e modernizar educação local

Serviços municipais de educação serão radicados no antigo Governo Civil de Viseu e Centro Histórico terá um “serviço educativo”

O Presidente da Câmara Municipal de Viseu, Almeida Henriques, apresentou esta tarde o programa "Viseu Educa", na reunião pública do Conselho Municipal de Educação, um órgão consultivo e de coordenação das políticas educativas locais.

O programa foi apresentado como um “guião inovador de medidas voltadas para já não para o ‘hardware’ educativo, mas para o ‘software’”.

O programa “Viseu Educa” define três grandes áreas de intervenção: a qualificação de infraestruturas e recursos de apoio; a articulação da oferta formativa, o apoio às famílias e a modernização da gestão; a diversificação de formações e serviços educativos e a promoção do mérito.

Entre as medidas anunciadas, o Presidente da Câmara Municipal tornou pública a intenção de transferir para o edifício do antigo Governo Civil de Viseu os serviços municipais de educação, nos quais será criado um gabinete de apoio psicossocial aos educadores e crianças.

Almeida Henriques assumiu ainda o objetivo de realizar uma reavaliação da Carta Escolar de Viseu e um diagnóstico energético do parque escolar municipal, tendo no horizonte projetos de eficiência energética a financiar através de fundos comunitários do futuro QREN.

No âmbito do “Viseu Educa”, o Município colocará em marcha “um grande programa de formação complementar artística, cultural, desportiva, ambiental e para o empreendedorismo, voltado especialmente para as crianças e famílias mais carenciadas e excluídas.” Neste âmbito, será proporcionada educação de línguas estrangeiras, incluindo de idiomas de mercados emergentes com a China.

Este programa arrancará já em 2014 e será organizado de forma gradual e descentralizada. Os diversos agrupamentos escolares terão autonomia para definir e propor as respetivas ofertas formativas. “O Município não será dirigista nem imporá modelos e programas de cima para baixo”, garantiu o Presidente da Câmara.

Uma das inovações mais marcantes é a criação de um Serviço Educativo para o Centro Histórico e o Património Cultural, no âmbito do processo de candidatura do Centro Histórico a Património da Humanidade da UNESCO. “A candidatura à UNESCO não se faz sem as pessoas, sem a base social da comunidade, sem educação para o património, sem uma forte sensibilização”, sublinhou Almeida Henriques.

A disponibilização de uma plataforma na Internet que permita aos pais efetuar a “gestão da conta do aluno” é outra das medidas inscritas no programa “Viseu Educa”.

Almeida Henriques tornou público que o Município de Viseu investe anualmente 8,5 milhões de euros em educação (13 por cento do orçamento municipal), dos quais 4,6 milhões em despesas inerentes ao funcionamento das escolas e jardins de infância, transportes, refeições e apoio às famílias.