“Viseu Viva” quer restituir “tempo áureo” ao Centro Histórico

Município avança com nova Área de Reabilitação Urbana e concursos para a cobertura do Mercado 2 de Maio e a criação de um hostel

O Presidente da Câmara Municipal de Viseu, Almeida Henriques, apresentou o plano de ação “Viseu Viva”, voltado para a revitalização do Centro Histórico.

O documento integral está disponível no website do município, em www.cm-viseu.pt/index.php/rtl-demos/estrategia

Entre as medidas anunciadas estão a instalação de uma Unidade de Saúde Familiar na Casa das Bocas, a adoção de um regime de incentivos municipais para a insonorização do edificado residencial e de atividade noturna e a criação de um serviço educativo do Centro Histórico para a comunidade escolar. O lançamento de um programa de melhoria da iluminação dos monumentos e pontos de interesse turístico, a adoção de um sistema de majoração de empresas com qualificações para a reabilitação de edificado histórico, no âmbito de concursos públicos e a abertura da rede wireless do Centro Histórico são outras das novidades apresentadas.

Nas palavras do Presidente da Câmara, o plano de intervenção quer ajudar a “devolver uma vida pujante ao Centro Histórico – restituir-lhe um novo tempo áureo.”

Referindo-se aos 152 contributos de cidadãos e organizações recebidos no processo de consulta pública, Almeida Henriques afirmou que “houve alma e houve corpo neste debate. Houve exercício livre de opinião e houve muito trabalho. O Município demonstrou uma escuta ativa e identificou 30 preocupações e mensagens-chave dos cidadãos. Este plano é a consequência prática da estratégia que submetemos a debate público e que foi enriquecida com os contributos e as opiniões dos cidadãos”.

Na mesma ocasião, Almeida Henriques anunciou a aprovação da nova “Área de Reabilitação Urbana” de Viseu, que para além do Centro Histórico passa a incluir a Ribeira, a Cava de Viriato e o Bairro Municipal da Cadeia, num total de 1123 edifícios.

O Presidente da Câmara Municipal tornou também público o lançamento, nos próximos dias, do “concurso de ideias” para a revitalização e a cobertura do Mercado 2 de Maio e do concurso público para a conceção-exploração de um hostel na rua do Comércio.

Referindo-se ao Mercado 2 de Maio, Almeida Henriques assinalou que “a cobertura da praça é fundamental para a devolver à cidade integralmente – durante todo o ano, incluindo nos meses de Outono e Inverno”. “Será um novo marco arquitetónico na cidade e atualizará a vocação de praça do nosso Mercado.”