Quem era José Coelho?

Professor, historiador e arqueólogo, José Coelho notabilizou-se sobretudo pelos seus estudos de história e arqueologia regional.
Nascido a 5 de Maio de 1887 em Travassós de Cima (Viseu), frequentou o Liceu de Viseu e diplomou-se na Universidade de Lisboa, em 1912, com o curso superior de Letras de Ciências Históricas e Geográficas.

Foi professor do 4º grupo no Liceu de Viseu, onde exerceu o cargo de Reitor entre 1919 a 1922. Porém, era um verdadeiro apaixonado pela arqueologia e descobriu, em 1911, o Dólmen de Mamaltar de Vale de Fachas e, em 1912, as Antas da Pedralta, ambos em Viseu. No ano de 1917, descobriu também a necrópole do Paranho, em Tondela.

Os resultados das escavações que José Coelho efetuou nestes monumentos são, ainda hoje, excelentes bases de trabalho e de estudo da arqueologia regional. A sua incessante procura em compreender o passado fez deste investigador um percursor na defesa do Património, tendo representado um significativo contributo para a criação do Instituto Etnológico da Beira.

Ao longo da sua vida foi recolhendo e juntando na sua Casa da Via Sacra um interessante espólio arqueológico. Após a sua morte (7 de Abril de 1977), os seus filhos ofereceram, em 1979, a coleção de peças e apontamentos (Cadernos de Notas Arqueológicas) à Câmara Municipal de Viseu, que se comprometeu a expô-los. Esta coleção esteve patente em várias exposições temporárias desde essa altura, encontrando-se exposta desde 1980 na Casa do Miradouro.

O nome do arqueólogo deu origem à rua “Doutor José Coelho”, em Viseu, e o seu busto em bronze, do escultor Armindo Ribeiro, encontra-se no jardim da Casa da Via Sacra, também em Viseu.