Contas do Município de Viseu aprovadas com saldo positivo são “fôlego para ciclo de investimento”

 

Saúde financeira melhora em 6 milhões de euros. Reserva para investimento no ciclo 2020 terá preocupações económicas e sociais “no topo da lista”

A Câmara Municipal de Viseu aprovou hoje as contas relativas à execução orçamental de 2014. O saldo anual, entre receitas e despesas, é positivo em 8,8 milhões de euros e consolida, nas palavras do Presidente da Câmara, “a boa saúde financeira do Município”.

De acordo com o relatório aprovado, o endividamento municipal é reduzido em 2014 em 3 milhões de euros e permite ainda um aumento das reservas financeiras do município no mesmo montante. A saúde financeira melhora assim em 6 milhões de euros, fixando o saldo de gerência global do Município em 23,6 milhões de euros.

“A boa gestão financeira permite reforçar a forte sustentabilidade do Município e é um fôlego para um novo ciclo de investimentos, no quadro do PORTUGAL 2020”, sublinha o Presidente da Câmara. “As preocupações económicas e sociais estão no topo da lista de prioridades”.

As contas foram aprovadas com a abstenção dos vereadores da Oposição (PS e CDS/PP).

O Presidente da Câmara sublinhou que a solidez alcançada foi acompanhada por uma boa execução dos investimentos sociais, económicos e de proximidade.

De acordo com o relatório de gerência, as funções sociais das Grandes Opções do Plano (GOP) apresentam a execução mais elevada, com uma realização financeira de 14,5 milhões de euros, representando 53% do total das GOP. Neste âmbito destaca-se o investimento na política de educação, que absorve 34 daquele montante, em resultado das obras no parque escolar e dos encargos com os transportes escolares, refeições escolares e auxiliares de educação.

Já as “funções económicas” representam 24% do investimento das GOP, com os investimentos nos transportes rodoviários, na reabilitação urbana e na conservação e reconstrução do património municipal, à cabeça.

Nesta reunião foram ainda apreciados os relatórios de contas de 2014 das empresas municipais e das participadas: da HABISOLVIS (de habitação social), da Sociedade de Reabilitação Urbana VISEU NOVO e da EXPOVIS.

Nestas contas destacam-se o saldo positivo das contas da EXPOVIS (em mais de 100 mil euros) e o “saldo zero” da HABISOLVIS, em resultado da política de reinvestir na reabilitação do parque habitacional municipal toda a receita registada ao longo do ano.

No caso dos resultados da EXPOVIS, Almeida Henriques sublinha “a sustentabilidade financeira e económica da Feira de São Mateus”. “O saldo positivo permite intensificar o processo de revitalização deste grande certame histórico, económico e popular da cidade-região”, destacou.