Câmara de Viseu aprova o maior orçamento dos últimos 8 anos

 

98,9 milhões de euros é o orçamento da Câmara para o ano de 2018, ano em que se privilegia o investimento. 85% das Grandes Opções de Plano serão para as funções sociais e económicas, mantendo a tónica no crescimento sustentável. 

Esta quinta-feira, dia 11, foi aprovado em Reunião de Câmara um orçamento no valor global de aproximadamente 119 milhões de euros - 98,9 milhões da Câmara Municipal e 19,9 milhões dos SMAS/ Águas de Viseu. 

Este orçamento é o maior dos últimos oito anos. E com um crescimento de mais de 3% face às Grandes Opções de Plano (GOP) do ano transato. 

Este orçamento vai permitir a continuidade das políticas ao longo do mandato, de concretização do ciclo de investimentos já iniciado, mantendo um ritmo de crescimento. 

Este orçamento resulta, também, da incorporação do saldo de gerência de 2017. A Câmara encerrou o ano de 2017 com um saldo de quase 29 milhões de euros que, com a sua integração da revisão orçamental, permite continuar a pôr em Viseu o selo de ‘melhor cidade para viver’ com a aposta em setores estratégicos e na realização de investimentos estruturantes. 

As linhas condutoras do Viseu Primeiro, dando prioridade às questões económicas, sociais, culturais e territoriais, continuam a ser as guias. Este orçamento preconiza, também, as opções estratégicas do mandato. 

De referir o foco nas funções sociais havendo mais de 45 milhões de euros que lhe são destinados. Se lhes se juntarem os 24 milhões que concernem às funções económicas conta-se um total de 85% das GOP para estes fins. 

O orçamento hoje aprovado tem uma preocupação fundamental: os viseenses. E setores como educação, a solidariedade social, cultura e desporto, meio ambiente e ainda ordenamento do território senti-la-ão. Os resultados serão vistos de várias formas, mas principalmente no combate à pobreza e na redução das desigualdades contemplando sempre a importância da qualidade de vida. 

Só na educação serão empregues quase 9 milhões de euros. A inclusão, a solidariedade e a justiça social são privilegiadas e no Viseu Social serão injetados mais de 4 milhões de euros, fazendo o Município deste tema uma clara prioridade. Para a cultura e desporto há uma verba que corresponde a 10,4% das GOP, sendo este mais um passo dado na aposta de Viseu enquanto polo cultural e desportivo. A coesão local e a descentralização através da valorização das freguesias rurais têm sido um marco do Município, e este ano não será diferente. 

Reforça-se em mais do dobro o Viseu Local ultrapassando os 10 milhões de euros. 

Há uma linha de continuidade a mostrar a direção e essa é a do crescimento e da sustentabilidade. 29,3% dizem respeito a investimentos no desenvolvimento da economia e na mobilidade. Para esta estão reservados mais de 12 milhões de euros, que servirão para a mobilidade urbana sustentável e modernização das ligações viárias. Para aquela, e para a energia, são quase dez milhões que visam em última análise o crescimento económico. E que este esteja assente na criação de postos de trabalho e no aumento da competitividade que vai permitir a instalação de empresas e de novos negócios. À semelhança do que tem acontecido com este Executivo, até à data. 

O orçamento das Águas de Viseu, de quase 20 milhões de euros com incorporação do saldo de gerência, incorpora um crescimento assinalável no investimento nos setores do abastecimento de água e saneamento. Desde a extensão das redes, ao reforço da capacidade e resiliência do sistema, o investimento marca este orçamento que é o maior dos últimos três anos. As despesas em investimento atingirão 9,5 milhões de euros. 

A aposta na sustentabilidade e boa gestão das contas municipais que o Executivo Municipal assegura com este orçamento é também demonstrada pela capacidade de poupança corrente. A receita corrente total da Câmara Municipal e da Águas de Viseu ao registar 61,8 milhões de euros é superior à despesa corrente em 12,2 milhões de euros, pelo que, este saldo será aplicado na realização de investimentos.