“Viseu, Cidade Europeia do Folclore” marcou a Bolsa de Turismo de Lisboa

Pelo 3º ano consecutivo, a presença de Viseu na maior feira de turismo nacional foi aposta ganha. Mais de 38 mil visitantes foram impactados e “renderam-se” à cultura tradicional e popular do concelho

Com a promessa de promover o melhor da sua cultura tradicional popular, Viseu regressou pelo 3º ano consecutivo à Bolsa de Turismo de Lisboa, voltando a marcar a agenda da maior feira de turismo nacional, que terminou este domingo.

“Em 2018, Viseu consolidou a sua atitude irreverente e a sua marca de excelência na Bolsa de Turismo de Lisboa, como ‘Cidade Europeia do Folclore’. Lançámos novas propostas e levámos connosco uma embaixada de 30 agentes culturais e criativos, empreendedores turísticos, gastronómicos e vinhateiros de excelência. Demos um empurrão para reconciliar público e setor turístico com o folclore. Foi, mais uma vez, uma aposta ganha na promoção de Viseu enquanto destino de visita e território cultural, no Interior do país, com uma oferta diversificada ao longo do ano”, destaca o Presidente da Câmara Municipal de Viseu, Almeida Henriques.

Mais de 38 mil visitantes passaram pelo stand da “Cidade Europeia do Folclore” e participaram de uma agenda dinâmica e preenchida por 80 experiências e micro-eventos, ao longo de 45 horas de programação.

“Viseu deixou a sua impressão digital nesta que é a maior feira de turismo nacional. O sucesso desta presença é um bom prenúncio para o turismo do concelho e da região e para o sucesso da “Cidade Europeia do Folclore””, sublinhou o Vereador da Cultura e Turismo, Jorge Sobrado. “Apostámos em talentos e histórias de Viseu, revelámos novidades e surpresas, provocámos positivamente com o maravilhoso universo cultural que é o folclore”, concluiu.

A participação da Cidade de Viriato ficou ainda marcada pela apresentação do plano de ação “Viseu Folk”, um programa com 26 medidas voltadas para “pôr o folclore na moda”, para revitalizar artística e socialmente a cultura tradicional popular e valorizá-la na comunidade e na oferta turística do concelho e da região.

Neste âmbito, o Município anunciou publicamente a parceria com os artistas Katty Xiomara e Moullinex, que estão já a projetar criações a partir de manifestações do folclore e da etnografia, na área da moda e da música.

Desafiada a criar novas peças de vestuário inspiradas neste conceito, Katty Xiomara sublinha que “o convite que me foi apresentado foi um grande desafio e está ainda a revelar-se um desafio. Vou reinterpretar com contemporaneidade todo um tradicionalismo que remete para os trajes folclóricos de Viseu”.

Já o viseense Moullinex inicia esta terça-feira o desenvolvimento de um projeto “electro-folk”. “Assumo este projeto com um sentido de responsabilidade. É preciso coragem para escolher alguém como eu, que faz música eletrónica, para trazer contemporaneidade a este património e criar algo novo”, destacou.

As Cavalhadas de Teivas e de Vildemoinhos; o linho, os sabores, os cantares e as danças de Várzea de Calde; a arte das flores de papel de Fragosela, das rendas de bilros de Farminhão e do burel marcaram a agenda de apresentações. Em palco, os Ranchos Folclóricos de Mundão e Verde Gaio de Lordosa, o Grupo Girafoles, os Tranglomango, os Musicando e Carlos Peninha & Tocar o Chão estiveram em representação das sonoridades da região.

No dia dedicado à “Cidade de Eventos”, a Feira de São Mateus esteve também em destaque e anunciou perante dezenas de visitantes mais um nome que se junta ao cartaz da edição 626: Mickael Carreira. O cantor sobe ao palco da guardiã das feiras populares do país a 15 de agosto. “Para mim vai ser um orgulho estar pela primeira vez em Viseu. Vamos dar um grande concerto, totalmente renovado e com novas músicas”, prometeu Mickael Carreira.

O cabaz de projetos high-tech “made in Viseu” marcou também a atratividade e o ritmo da agenda do stand de Viseu. Estreias como o Magic Mirror, da empresa viseense 2Play+, ou o “Immersive Viseu”, da autoria de João Dias, conquistaram adeptos de todas as idades.

A gastronomia e os sabores da região foram cartões-de-visita ao longo destes cinco dias. Pela mão do Chef Diogo Rocha, do Restaurante Mesa de Lemos, e do Chef Luís Almeida, do Dux Palace, houve lugar a degustações acompanhadas pelos néctares da Região Demarcada do Dão.

João Cotta, Presidente da Viseu Marca, a associação de city marketing de Viseu que é também promotora da iniciativa, refere que “a imagem de Viseu junto de profissionais, empresas e público sai reforçada no final desta participação na feira de turismo. Eventos como a Feira de São Mateus gozam já dessa notoriedade e posicionamento estratégico, que se reflete no crescente número de visitantes e investidores nos últimos dois anos”.

Os 2500 anos de história de Viseu estiveram também em destaque na Bolsa de Turismo. O “Guia da Cidade de Viseu”, datado de 1931 e com texto de Almeida Moreira, foi reeditado e lançado pelo Município; os Museus de Viseu apresentaram o seu primeiro passaporte turístico; e a timeline histórica de Viseu, “O Fio da História”, levou todos os visitantes numa viagem até às origens da cidade.

O dia-a-dia da “Cidade Europeia do Folclore” na 30ª edição da Bolsa de Turismo de Lisboa pode ser revisto nas redes sociais (Instagram, Facebook e Youtube) Visit Viseu e Município de Viseu.