Município de Viseu investe, em seis anos, 10 milhões de euros no apoio ao desporto e atividade física

Entre 2013 e 2020, o número de viseenses que praticam desporto com o apoio da autarquia subiu para 12 mil. Registou-se um aumento de 1600 atletas no concelho

Viseu assume-se cada vez mais como um concelho comprometido com o desporto, o bem-estar e a qualidade de vida. Entre 2014 e 2020, o Município investiu cerca de 10 milhões de euros no Programa de Apoio ao Desporto e Atividade Física (PADAF), contribuindo diretamente para projetos e atividades desenvolvidas pelos clubes locais. A aposta, transversal a todas as freguesias, provocou o aumento do número de atletas, com especial destaque para o sexo feminino, onde o crescimento atingiu 350% (350 para 1200).

Apesar das dificuldades criadas pela pandemia, a autarquia entendeu manter todos os apoios e compromissos assumidos com os clubes desportivos do concelho. Assim, o Executivo municipal aprovou hoje, em reunião de Câmara, mais de 170 mil euros destinados a diferentes contratos-programa para o desenvolvimento desportivo. Um destes investimentos, num montante que ronda os 125 mil euros, destina-se à requalificação e colocação de relvado sintético no campo do Grupo Desportivo de Silgueiros.

Aliás, este é apenas um dos três campos relvados de que o concelho passará a dispor. “Na próxima reunião de Câmara submeteremos à aprovação um contrato-programa para a colocação de relvado sintético no Campo dos Leões da Beira, um investimento de 150 mil euros por parte do Município”, anunciou António Almeida Henriques, Presidente da Câmara Municipal de Viseu. O autarca referiu ainda que o clube Viseu 2001 já assumiu a vontade de implementar a mesma estrutura no Campo da Paradinha, candidatura que se concretizará no próximo ano. “Estes, assim como muitos outros investimentos, têm sido realizados em todo o território, nomeadamente em freguesias de baixa densidade”, afirmou o autarca.

Mais de 12 mil viseenses praticam desporto com apoio da autarquia

A aposta do Município de Viseu não se esgota nos apoios aos clubes locais e associativismo. Para além destes, a autarquia destina anualmente cerca de 1,3 milhões de euros para o desenvolvimento de programas e projetos de promoção de atividade física, entre eles municipais, como a Atividade Sénior, a Escola Ativa e a Escola Municipal de Natação. São mais de 12 mil pessoas (cerca de 8 mil apenas em programas municipais) que praticam algum tipo de atividade física e têm, desta forma, uma vida mais ativa.

Para a adoção de hábitos saudáveis, muito tem contribuído a aposta na construção e reabilitação de instalações desportivas e espaços promotores de atividade física. “Nos últimos sete anos, investimos 7,5 milhões de euros em instalações de proximidade e descentralizadas, como são exemplo os campos de Lordosa, Ranhados, Quinta da Cruz e Vila Chã de Sá. Ou os Pavilhões de Prime, Lordosa e Cavernães, e os cerca de 31 Circuitos Gerações Ativas e 13 parques infantis”, lembra António Almeida Henriques. No total, Viseu apresenta hoje um Parque Desportivo com 460 equipamentos, que se traduzem em 550 recintos desportivos e espaços promotores de atividade física.

“O modelo de qualidade de vida que defendemos para Viseu assenta na tríade social Desporto, Educação e Cultura. Acreditamos que esta é uma marca distintiva de Viseu e que torna este concelho tão atrativo para viver”, adianta o autarca viseense. Recorde-se que o Relatório Anual do Programa Nacional de Promoção da Atividade Física da Direção-Geral de Saúde coloca Portugal como o 11º país mais sedentário do mundo. O mesmo documento estima um custo anual, para o Sistema Nacional de Saúde, de entre 150 a 300 euros por cada cidadão com comportamentos sedentários. “Tendo em conta o número de viseenses ativos no âmbito dos nossos programas e projetos, podemos afirmar que o Município gera uma poupança para o SNS que pode chegar aos 3,7 milhões de euros por ano”, afirma António Almeida Henriques.