Quinta da Cruz inaugura nova exposição com espólio da Fundação de Serralves

A Quinta da Cruz recebe, a partir de hoje, 17 de setembro, uma exposição de obras da coleção de Serralves, intitulada “Artes Incoerentes. O cabinet de Alvess”. A inauguração ocorre nesse mesmo dia, pelas 17 horas, e o espólio estará patente na Quinta da Cruz até ao dia 28 de fevereiro de 2016.

No espaço museológico da Quinta da Cruz, as obras de Alvess convivem com outros artistas contemporâneos de renome, proporcionando uma reflexão sobre a origem dos artistas, a crítica à forma de estar social e humana, bem como diversas formas de classificar e medir o mundo. Ideias e preocupações do artista partilhadas, à luz da contemporaneidade, com os seus sucessores.

Para além de Alvess, Fernando Aguiar, John Baldessari, António Barros, James Lee Byars, Manuel Casimiro, Mauro Cerqueira, Guy de Cointet, Robert Filliou, Ana Hatherly, Alex Hay, Rita McBride, E.M. de Melo e Castro, Jorge Pinheiro e António Sena são artistas cujas obras estarão presentes em exposição.

Uma organização a cargo da Fundação de Serralves – Museu de Arte Contemporânea, Porto, pela curadoria de Paula Fernandes, em parceria com o Município de Viseu.

MANUEL ALVESS

Manuel Alvess, natural de Viseu, foi um artista quase desconhecido até 2008, ano em que a Fundação de Serralves deu a conhecer ao público a sua obra, numa exposição inédita. Pela primeira vez fora do Museu, parte significativa dos trabalhos do artista viseense, serão apresentados na sua cidade, uma exposição que procura suscitar diferentes interpretações individuais acerca da relação entre a arte e a vida, refletindo uma linguagem muito própria de Alvess. A sua obra artística foi desenvolvida em Paris, cidade na qual expôs alguns dos seus trabalhos. A partir dos finais da década de 70, retira-se da ribalta, continuando a sua obra criativa de forma discreta. As suas criações integraram a história das atitudes anti-arte, contribuindo para a reviravolta na produção artística.