Município de Viseu manifesta deceção e inquietação com opções e resultados do Governo para a ferrovia nacional

A recente confirmação do cancelamento da construção da ligação ferroviária Aveiro – Salamanca, anunciada no início de mandato pelo atual Governo e prevista no Plano Estratégico dos Transportes, constitui para o Presidente da Câmara Municipal de Viseu, Almeida Henriques, “uma profunda deceção para a cidade-região e para o Centro-Norte do país”.

O Município de Viseu considera o desfecho das negociações e das candidaturas em Bruxelas, para o plano ferroviário português , profundamente negativo e frustrante para o concelho e toda a região.

Os resultados obtidos nas candidaturas junto da Comissão Europeia, para financiamento de infraestruturas de transportes, registaram uma prestação muito pior do que a média europeia e ao arrepio das necessidades da região e do país, em matéria de competitividade e de coesão.

Com a última decisão comunitária, cai por terra o grande projeto ferroviário português de carácter internacional e exportador, constituído pelo corredor Aveiro – Viseu – Salamanca, limitando-se o Governo a obter um financiamento parcial para a reabilitação da linha da Beira Alta, cujo projeto e viabilidade técnica, económica e financeira continuam a ser desconhecidos e a merecer fundadas duvidas.

Entende o Município de Viseu que fica, assim, profundamente comprometida a ambição da ligação de Portugal à rede transeuropeia de transportes e do salto de internacionalização económica do país, em particular do seu pulmão exportador, situado na região do Centro-Norte.

Nas palavras de Almeida Henriques, “com este resultado dececionante pode dizer-se que a montanha pariu um rato. Depois de tantos anúncios e ambições de fachada, o Governo apresenta-se de mãos vazias e sem uma explicação clara e sustentada às regiões e aos autarcas.”

O Município de Viseu manifesta ainda preocupação e inquietação pelo silêncio do Governo Português quanto ao compromisso de construção de um ramal de ligação da linha da Beira Alta a Viseu, inscrito no Plano Estratégico dos Transportes, também indispensável a viabilizar a sustentabilidade daquela ligação. Não se concretizando essa ligação, Viseu continuará a ser a única cidade europeia da sua dimensão sem ferrovia.

O Presidente da Câmara Municipal de Viseu aguarda ainda resposta aos vários pedidos de agendamento de uma audiência com o Senhor Ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques.