Câmara de Viseu aprova a criação de um Polo Arqueológico concelhio

Município aprovou acordo de cooperação com a Direção-Geral do Património Cultural

O Executivo Municipal aprovou, esta quinta-feira passada, o regulamento que institui o Polo Arqueológico de Viseu e estabelece a sua estratégia e modelo de funcionamento.

Instalado na Casa do Miradouro, um edifício histórico da cidade, este novo serviço municipal agrega a atual Coleção Arqueológica José Coelho, a reserva arqueológica, o gabinete de apoio à investigação e acolhimento de investigadores, o centro de documentação e biblioteca especializada e o serviço de mediação e educação patrimonial.

Por outro lado, o Polo assegurará outras valências relevantes tais como o aconselhamento e acompanhamento especializado de intervenções arqueológicas, nomeadamente de iniciativa municipal, e um plano de valorização museológica, integrado no projeto do Museu de História da Cidade.

No âmbito da missão deste serviço prevê-se a dinamização de uma agenda municipal de investigação, que será enquadrada no programa municipal VISEU PATRIMÓNIO, atualização do inventário de património arqueológico de Viseu, associado à Carta Patrimonial concelhia.

Neste contexto, a Câmara Municipal de Viseu aprovou ainda um acordo de cooperação com a Direção-Geral do Património Cultural para o desenvolvimento do Polo Arqueológico de Viseu, designadamente das funções de gestão da reserva arqueológica.

A iniciativa conta ainda com o apoio da Direção Regional de Cultura do Centro.

Para o Presidente da Câmara Municipal de Viseu, Almeida Henriques, “esta é uma iniciativa estruturante na política de salvaguarda e valorização patrimonial de uma cidade com 2500 anos, como Viseu. O projeto é também um exemplo de boa cooperação entre o Estado Central e o Município”.