Câmara exige resposta rápida do Governo à rutura no Serviço de Oncologia do Hospital de Viseu

Presidente da Câmara Municipal já solicitou audiência com caráter de urgência à Ministra da Saúde 

Na sequência das preocupações manifestadas pelos médicos do serviço de Oncologia do Hospital de Viseu, que alertaram para o facto de estar em risco a cirurgia oncológica naquela unidade, e do próprio serviço estar em rutura, o Presidente da Câmara Municipal, Almeida Henriques, espera uma resposta rápida e eficaz do Governo, para que a “situação desumana” a que os doentes oncológicos estão a ser sujeitos não se prolongue no tempo.

“Já tentei entrar em contacto com a Ministra da Saúde e, em simultâneo, enviei para o seu gabinete um pedido de audiência, para que nos possa esclarecer sobre as medidas que serão tomadas”, refere o Presidente da Câmara.

O autarca mostra-se “chocado” com o teor do comunicado tornado público esta terça-feira pelas estruturas representativas dos médicos.

“Os médicos assumiram a incapacidade de garantir a consulta e os tratamentos de quimioterapia para novos doentes, o que demonstra a gravidade da situação. É responsabilidade da tutela, o Ministério da Saúde, assumir a condução deste processo, de extrema gravidade, e avançar já com o reforço do corpo clínico”, reforça.

O Presidente da Câmara Municipal de Viseu espera também que a Comunidade Intermunicipal Viseu Dão Lafões tome uma posição de desagrado sobre esta situação, por estar em causa o tratamento de “doentes de toda a região, que podem ficar sujeitos a ter que percorrer centenas de quilómetros para efetuar os tratamentos”.

Em simultâneo, os Presidentes de Câmara dos Municípios de Viseu Dão Lafões foram convidados a estar presentes na audiência com a Ministra da Saúde, solicitada pelo Presidente da Câmara Municipal de Viseu.