Viseu avança com o primeiro “estaleiro-escola” do país
Projeto deverá candidatar-se a fundos comunitários do novo QREN
 

O Presidente da Câmara Municipal de Viseu, Almeida Henriques, tornou pública “a ambição de ver criado em Viseu o primeiro estaleiro-escola do país”, um projeto que está a ser estudado há alguns meses em parceria entre o Município, o Centro Regional da Universidade Católica Portuguesa em Viseu, o GECORPA – Grémio do Património e a Associação Empresarial da Região de Viseu (AIRV).
 
O “Viseu estaleiro-escola” desenvolverá em Portugal um conceito de formação profissional alternativa e de laboratório aplicado, em contexto real, já testado noutros países, designadamente em França, voltado para a reabilitação de património.
 
No caso de Viseu, o projeto será dedicado à formação técnica e profissional de estudantes, desempregados e quadros de empresas de construção, e no desenvolvimento de projetos de reabilitação do edificado público do centro histórico da cidade e de edifícios habitacionais em zonas rurais, numa ótica de inclusão social.
 
O projeto permite prosseguir objetivos como o reforço da dinâmica da regeneração urbana em Viseu, designadamente no centro histórico; a valorização dos quadros científicos do Centro Regional da Universidade Católica Portuguesa no domínio da arquitetura, numa fase decisiva do relançamento dos seus cursos de licenciatura e mestrado; a formação de competências profissionais voltadas para as práticas de reabilitação de património e do edificado, no mercado de trabalho e nas empresas; e o apoio a famílias de baixos rendimentos na reabilitação das suas habitações.
 
Almeida Henriques destacou “o caráter inovador e integrado do estaleiro-escola de Viseu” e o seu enquadramento no próximo QREN, para efeitos de financiamento comunitário. “Este projeto é uma réplica aos desafios da Europa 2020: o Viseu Estaleiro-Escola tornará a cidade mais inteligente, mais sustentável e mais inclusiva”.